sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Vamos à festa?


Fim de ano. As festas e comemorações tomam conta de nossos diálogos e de nossas preocupações. Nessa época é comum as pessoas se perguntarem: que roupa vou vestir para passar o reveillon? Qual penteado vou fazer? Eu tenho uma sandália que combine? Questionamentos comuns quando se trata de qualquer tipo de festa, por mais simples que seja. Ao sermos convidados para uma comemoração sempre nos preparamos bem, gastamos com roupas novas, nos vestimos conforme exigem as regras de etiqueta, dependendo, até compramos presentes! Nada contra. No entanto, raramente ouvi os mesmos questionamentos e preocupações quando nos referimos à festa mais sublime que temos o prazer de participar tantas vezes quanto quisermos, sem necessidade de convite. Que festa é essa? A Missa. Concordo que é uma comparação injusta. Mas serve se quisermos analisar o quanto as pessoas dão pouco valor a celebração mais importante de nossa fé. Quando nos preparamos para uma festa pensamos na roupa adequada para a ocasião: tecidos nobres e terno escuro quando o convite informa que o traje é passeio completo. Escolhemos cuidadosamente os acessórios, para não exagerar. Se vamos a uma comemoração na casa de algum amigo, é gentil levar algum mimo para o anfitrião.  Planejamos tudo, aliás, quase tudo, só não pensamos na hora de voltar para casa, afinal festa tem que ser aproveitada até o último segundo. Verificados todos os detalhes e após muitas idas ao espelho, pronto, vamos à festa! Já quando vamos à missa, parece que a preocupação não é tão grande. Roupas novas? Que nada! Pode ser uma que já esteja no guarda-roupa mesmo! Há que se considerar sorte quando ao menos as pessoas escolhem roupas decentes para irem à missa, afinal já vi muita gente usando roupas completamente inadequadas. Alguns podem dizer: “As roupas não representam meu caráter”, ou “Deus não se importa com a roupa que estou”. Ok, nosso caráter vai além do comprimento do vestido e Deus realmente está preocupado com coisas mais importantes do que bermudas. Mas considerando que estamos em um local com várias outras pessoas, devemos no mínimo ter respeito pelo próximo e nos preocuparmos sim com o que estamos vestindo, dedicar ao menos o mínimo de tempo para se arrumar adequadamente para ir até a casa de Deus. E ao chegar lá, mostrar a mesma disposição que teríamos em uma festa para permanecer animados, alegres e envolvidos com o que está acontecendo. Nada de cara feia ou de ficar “escorando” em qualquer canto. Se em uma comemoração levamos algo para quem a está organizando, para a missa também devemos levar um agrado ao dono da festa, a vantagem é que não precisamos gastar nada, o que Deus espera de nós é um coração limpo e com espaço para que Ele o preencha. E a hora de ir embora? Se estamos em uma balada, não há preocupação em ir para casa. Já quando estamos à missa, qualquer coisa é desculpa para se apressar a ir embora, até mesmo um compromisso inventado de última hora. E quando a festa é boa nos certificamos de contar ao maior número de pessoas todos os detalhes da festa, cada comentário hilário que surgiu e cada momento que passou, às vezes até para causar inveja aos que não compareceram. Deveríamos ter a mesma atitude depois da missa e contar a todos o quanto estava bom, repetir todas as palavras de vida que foram proferidas, de modo que os demais se sintam com vontade de participar também. Não entendam isso como uma crítica a quem é vaidoso ou aos que gostam de festas, mesmo porque eu também gosto. É só um alerta para começarmos a nos preocuparmos e nos prepararmos igualmente para a festa mais importante. E então, vamos à festa? 

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Como viver a vocação?



Comecemos por entender o que significa vocação. A origem da palavra vocação vem do latim e se refere a um “chamado”, sendo assim, na dimensão religiosa, a vocação é um chamado de Deus, um convite. Esse chamado do Pai é pessoal, cada um tem uma vocação específica dentro do Plano de Deus. Deus nos convida a vivermos uma vida de santidade e plenitude no local onde podemos ser mais úteis à construção do Reino dos Céus. A vocação é dom, graça, eleição cuidadosa, visando à realização da vontade de Deus, seja na vida laical, sacerdotal, religiosa ou familiar. "Não fostes vós que me escolhestes, mas Eu vos escolhi" (Jo 15,16). Para nós, cristãos, a vocação tem um sentido mais rico e profundo que nos foi revelado pelo próprio Cristo. Pelo Batismo somos chamados a ser sal da terra e luz do mundo, sacerdotes, profetas e reis, somos chamados a sermos santos. Jesus não nos deixa desamparados, Ele dá um exemplo perfeito para seguirmos e assim viver nossa vocação, esse modelo é bem claro: “Sede santos como vosso Pai que está nos Céus é santo” (Mt 5, 48). Cristo não quer que vivamos uma vida vazia, Ele deseja que tenhamos uma vida plena e repleta de felicidade. Então para viver nossa vocação e sermos felizes basta seguir o exemplo dado por Ele, precisamos ser santos e perfeitos como o Pai, em outra palavras, precisamos agir como o próprio Cristo agiu. Viver a vocação é agir para o bem pessoal e do próximo, é ser justo, humilde, solidário e misericordioso assim como Jesus nos ensina. Sendo sal para dar um novo sabor a nossas realidades, sendo luz para iluminar o mundo e indicar a todos o caminho da salvação e sendo fermento, para transformar e modificar o mundo com nossas atitudes evangelizadoras. Não devemos pensar que precisamos mudar o mundo radicalmente de um dia para o outro, mas podemos fazer isso aos poucos, através das pequenas atitudes positivas dentro de nossa casa, de nossa comunidade, de nosso trabalho e lazer. Inclusive, essa é uma das propostas do Movimento de Cursilhos: Evangelizar os ambientes. Quando estamos empenhados no anúncio e construção do Reino de Deus, estamos exercendo nossa vocação e cumprindo a missão que Jesus nos deixou: “Ide pelo mundo e anunciai a Boa Nova a toda criatura” (Mc 16, 15).


segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Hino Oficial JMJ Rio2013 "Esperança do Amanhecer"

Foi divulgado o Hino Oficial JMJ Rio2013 "Esperança do Amanhecer"



Sou marcado desde sempre
com o sinal do Redentor,
que sobre o monte, o Corcovado,
abraça o mundo com Seu amor.

(Refrão)

Cristo nos convida:
"Venham, meus amigos!"
Cristo nos envia:
"Sejam missionários!"

Juventude, primavera:
esperança do amanhecer;
quem escuta este chamado
acolhe o dom de crer!
Quem nos dera fosse a terra,
fosse o mundo todo assim!
Não à guerra, fora o ódio,
Só o bem e paz a não ter fim.

Do nascente ao poente,
nossa casa não tem porta,
nossa terra não tem cerca,
nem limites o nosso amor!
Espalhados pelo mundo,
conservamos o mesmo ardor.
É Tua graça que nos sustenta
nos mantém fiéis a Ti, Senhor!

Atendendo ao Teu chamado:
"Vão e façam, entre as nações,
um povo novo, em unidade,
para mim seus corações!"
Anunciar Teu Evangelho
a toda gente é transformar
o velho homem em novo homem
em mundo novo que vai chegar.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Onde está o romantismo?



Preocupa-me muito a ausência de romantismo no mundo. Mas o que causou essa ausência? Onde foi parar o romantismo? Sinceramente, não sei. Temo que ele tenha se perdido ao longo do tempo, talvez quando as visitas do amado, tão aguardadas, foram substituídas por telefonemas, ou quando as cartas de amor começaram a ser trocadas pelos SMS, emails... Flores? Somente virtuais, sem a suavidade do toque das pétalas, sem o perfume que aguça nossos instintos, sem a beleza da realidade. E em meio a tantas artificialidades, os gestos, poderosos aliados dos amantes, também começaram a se tornar artificiais, frios, distantes. Ser romântico hoje é antiquado, é perder tempo. E nesse costume grosseiro de estar simplesmente presente de corpo, sem estar presente de alma ou coração, os homens se esqueceram das atitudes simples que conquistavam suas amadas, também pudera! Nós, ignorantes como somos, permitimos que isso acontecesse, afinal ficou mais fácil disponibilizar o corpo e desconsiderar os sentimentos. E com o tempo aqueles momentos doces que fazíamos questão de guardar com tanto afeto, aqueles beijos cheios de amor e carinho que incendiavam o coração foram desaparecendo, aos poucos. Os corações se tornaram vazios, a vida perdeu parte do sentido. E assim como os gestos ficaram artificiais, descartáveis, as relações também ficaram, sem calor, sem vida, duráveis apenas pelo tempo que se leva para começar a sentir falta do romantismo. E se o romantismo faz falta na vida, como ele foi esquecido? Talvez por vergonha de reconhecermos que nos tornamos tão fúteis. A triste conclusão a que chego é que esse caminho parece ser sem volta. Um ser tão inteligente e evoluído como o homem não tem mais tempo para ser carinhoso. O tempo é curto e a vida também. Não permitamos que essa breve vida seja vazia de amor, de carinho, de romance. Ser romântico é tão simples! Basta um gesto, um olhar, um afago. O que faz diferença é o amor que se coloca nas atitudes. Quando for olhar, olhe nos olhos, veja todo o sentimento que insiste em aparecer neles. Quando for tocar, toque o coração, não apenas a pele. Quando for beijar, se esqueça do tempo, se esqueça de tudo, permita apenas a lembrança daquilo que o fez se apaixonar pela pessoa a sua frente. Os abraços não podem ser apenas um envolver de braços, devem aproximar a alma, aquecer o amor. Assim eu garanto, aquele romantismo que se perdeu poderá encontrar o caminho de volta para nossas vidas. E enquanto isso, enquanto insistimos em nos enganar pensando que ser carinhoso não é importante, o romance vai continuar esquecido, preso naqueles doces momentos de outras épocas, roubado de nossa breve vida. Roubado por quem? Quem escondeu esse romantismo? Ou quem sabe ele foi esquecido, perdido talvez? Não sei, só peço que quem o encontrar, por favor me avise. Estou ansiosa por voltar a experimentá-lo. 

quarta-feira, 21 de março de 2012

Ternura

Eu te peço perdão por te amar de repente
Embora o meu amor seja uma velha canção nos teus ouvidos
Das horas que passei à sombra dos teus gestos
Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos
Das noites que vivi acalentado
Pela graça indizível dos teus passos eternamente fugindo
Trago a doçura dos que aceitam melancolicamente.
E posso te dizer que o grande afeto que te deixo
Não traz o exaspero das lágrimas nem a fascinação das promessas
Nem as misteriosas palavras dos véus da alma...
É um sossego, uma unção, um transbordamento de carícias
E só te pede que te repouses quieta, muito quieta
E deixes que as mãos cálidas da noite encontrem sem fatalidade o olhar extático da aurora.

Vinícius de Moraes

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Ensinamentos das MÃES DE ANTIGAMENTE:

Pra lembrar,  e rir.
Coisas que nossas mães diziam e faziam...
Era uma forma, hoje condenada pelos educadores e psicólogos, mas funcionou com a gente e por isso não saímos sequestrando a namorada, calculando a morte dos pais, ajudando bandido a sequestrar a mãe, não nos aproveitamos dos outros, não pegamos o que não é nosso, nem estamos matando os outros por aí, etc...

Minha mãe ensinou a VALORIZAR O SORRISO...
"ME RESPONDE DE NOVO E EU TE ARREBENTO OS DENTES!"
 
Minha mãe me ensinou a RETIDÃO...
"EU TE AJEITO NEM QUE SEJA NA PANCADA!"

Minha mãe me ensinou a DAR VALOR AO TRABALHO DOS OUTROS...
"SE VOCÊ E SEU IRMÃO QUEREM SE MATAR, VÃO PRA FORA. ACABEI DE LIMPAR A CASA!"
 
Minha mãe me ensinou LÓGICA E HIERARQUIA...
"PORQUE EU DIGO QUE É ASSIM! PONTO FINAL! QUEM É QUE MANDA AQUI?"

Minha mãe me ensinou o que é MOTIVAÇÃO...
"CONTINUA CHORANDO QUE EU VOU TE DAR UMA RAZÃO VERDADEIRA PARA VC CHORAR!"

Minha mãe me ensinou a CONTRADIÇÃO...
" FECHA A BOCA E COME!"

Minha Mãe me ensinou sobre ANTECIPAÇÃO...
"ESPERA SÓ ATÉ SEU PAI CHEGAR EM CASA!"

Minha Mãe me ensinou sobre PACIÊNCIA...
"CALMA!... QUANDO CHEGARMOS EM CASA VOCÊ VAI VER SÓ..."

Minha Mãe me ensinou a ENFRENTAR OS DESAFIOS...
"OLHE PARA MIM! ME RESPONDA QUANDO EU TE FIZER UMA PERGUNTA!"

Minha Mãe me ensinou sobre RACIOCÍNIO LÓGICO...
"SE VOCÊ CAIR DESSA ÁRVORE VAI QUEBRAR O PESCOÇO E EU VOU TE DAR UMA SURRA!"

Minha Mãe me ensinou sobre o REINO ANIMAL...
"SE VOCÊ NÃO COMER ESSAS VERDURAS, OS BICHOS DA SUA BARRIGA VÃO COMER VOCÊ!"

Minha Mãe me ensinou sobre GENÉTICA...
"VOCÊ É IGUALZINHO AO SEU PAI!"

Minha Mãe me ensinou sobre minhas RAÍZES...
"TÁ PENSANDO QUE NASCEU DE FAMÍLIA RICA É?"

Minha Mãe me ensinou sobre a SABEDORIA DE IDADE...
"QUANDO VOCÊ TIVER A MINHA IDADE, VOCÊ VAI ENTENDER."

Minha Mãe me ensinou sobre JUSTIÇA...
"UM DIA VOCÊ TERÁ SEUS FILHOS, E EU ESPERO ELES FAÇAM PRÁ VOCÊ O MESMO QUE VOCÊ FAZ PRA MIM! AÍ VOCÊ VAI VER O QUE É BOM!"
 Minha mãe me ensinou RELIGIÃO...
"MELHOR REZAR PARA ESSA MANCHA SAIR DO TAPETE!"

Minha mãe me ensinou o BEIJO DE ESQUIMÓ...
"SE RABISCAR DE NOVO, EU ESFREGO SEU NARIZ NA PAREDE!"

Minha mãe me ensinou CONTORCIONISMO...
"OLHA SÓ ESSA ORELHA! QUE NOJO!"

Minha mãe me ensinou DETERMINAÇÃO...
"VAI FICAR AÍ SENTADO ATÉ COMER TODA COMIDA!"

Minha mãe me ensinou habilidades como VENTRÍLOCO...
"NÃO RESMUNGUE! CALA ESSA BOCA E ME DIGA POR QUE É QUE VOCÊ FEZ ISSO?"
 
Minha mãe me ensinou a SER OBJETIVO...
"EU TE AJEITO NUMA PANCADA SÓ!"

Minha mãe me ensinou a ESCUTAR...
"SE VOCÊ NÃO ABAIXAR O VOLUME, EU VOU AÍ E QUEBRO ESSE RÁDIO!"

Minha mãe me ensinou a TER GOSTO PELOS ESTUDOS...
"SE EU FOR AÍ E VOCÊ NÃO TIVER TERMINADO ESSA LIÇÃO, VOCÊ JÁ SABE!..."

Minha mãe me ajudou na COORDENAÇÃO MOTORA...
"JUNTA AGORA ESSES BRINQUEDOS!! PEGA UM POR UM!!"

Minha mãe me ensinou os NÚMEROS...
"VOU CONTAR ATÉ DEZ. SE ESSE VASO NÃO APARECER VOCÊ LEVA UMA SURRA!"
  
Valeu, Mãe!!! 
Hoje sou uma pessoa boa graças a você!